Previsão do Tempo

Assista pelo Celular

Assista pelo Celular

Facebook

A IMPORTÂNCIA DA VACINAÇÃO E VERMIFUGAÇÃO EM CÃES E GATOS.

A vacinação em cães é algo que todos os donos de pets devem ter em mente quando adicionam um novo amigo canino a família. Prevenindo os e gatos de doenças que vão das mais simples e corriqueiras até as mais graves e fatais, as vacinas disponibilizadas para cães e gatos nos dias de hoje podem ser a solução perfeita para que seu pet tenha uma vida longa e saudável.

VACINA1

Ao adotar um animal, é essencial que o seu responsável procure se informar bem em relação às datas e os tipos de vacina mais importantes para ele, e uma visita a um profissional veterinário se faz necessária neste momento, já que ele é capaz de esclarecer todo tipo de dúvida em relação à vacinação em cães e gatos e, ainda, indicar os locais mais adequados para que esta importante medicação seja administrada.

Boa parte das principais vacinas animais – assim como no caso dos seres humanos – devem ser dadas aos animais ainda filhotes, sendo que algumas delas necessitam de reforços em períodos determinados de tempo. Por isso, consultar um médico veterinário logo após a adoção de um filhote é tão importante, pois, a partir de cerca de 45 dias de vidad os cachorros e de 60 dias de vida dos gatos, eles já podem ser devidamente imunizados para evitar problemas de alta gravidade ao longo da vida.

Confira algumas das mais importantes vacinas a serem tomadas pelo seu pet, e saiba que tipo de precaução é necessária para que ele fique imune a uma série de doenças e zoonoses.

Vacinação em filhotes

Além de prevenir seu pet de doenças ao longo da vida, a vacinação é importante, principalmente, para os filhotes– que contam com um sistema imunológico ainda frágil nessa fase da vida e, com isso, ficam ainda mais propensos a serem infectados por diferentes vírus e bactérias. Recomenda-se, inclusive, que filhotes ainda não vacinados evitem o contato com animais que, mesmo vacinados, saiam à rua. Mesmo em clínicas veterinárias, é preciso que os pets permaneçam no colo dos donos, evitando a possibilidade de algum contágio.

VACINA6

Na grande maioria dos casos, a vacinação em cães segue um calendário bastante específico, sendo que as vacinas chamadas de V8 e V10 são as mais indicadas e importantes para os filhotes, conhecidas, também, como vacina polivalente, combinada ou múltipla. A diferença de numeração das vacinas fica por conta da quantidade de antígenos que elas têm, sendo que, enquanto a V8 protege contra a Leptospira Canicola e a Leptospira Icterohahemorrhagiae, a V10 inclui, além destes, os antígenos para Leptospira Grippotyphosa e Leptospira Pomona.

As vacinas polivalentes (V8 ou V10) são administradas em quatro doses, garantem a proteção dos cãezinhos contra sete doenças específicas, sendo que as vacinas contra raiva, giardia, administradas em uma dose e tosse dos cães, administradas em duas doses, também são extremamente importantes para manter a saúde dos cachorros

Reações da vacina em filhotes

Alguns filhotes podem apresentar um comportamento estranho após a administração das vacinas, no entanto, na maioria das vezes isso não é motivo para preocupações. Pelo fato de a vacina conter, justamente, uma amostra dos antígenos aos quais imunizará, é comum que os cães fiquem um tanto apáticos e com aparência cansada nas primeiras 24 horas após a aplicação do medicamento. Isto se dá devido à dor da aplicação e a febre esperada pela reação do animal à vacina aplicada.

O indicado nesses casos é simplesmente manter o animal em repouso, já que seu corpo está trabalhando para assimilar a vacina em seu sistema imunológico. Caso o cão filhote siga com o comportamento alterado após esse período inicial, é recomendado que um profissional veterinário seja procurado, para que possa examinar o pet e dar mais orientações sobre como ele deve ser cuidado.

Vacinação em animais adultos

Assim como no caso dos filhotes, as vacinas devem ser administradas aos animais adultos – tenham eles um histórico prévio de vacinação ou não. No caso do que nunca foram imunizados, diferente dos filhotes que ainda não tem o sistema imune formado, só é necessária uma dose de cada vacina para início da imunização, e renovadas anualmente. Para os que já contam com vacinas no histórico, a simples manutenção anual já é o suficiente para manter o pet protegido.

Embora não haja nenhum caso de má formação dos filhotes em função de vacinas, as fêmeas gestantes não devem receber esse tipo de medicação enquanto não tiverem seus filhos, pois a eficácia dos antígenos pode ser prejudicada. O ideal é que a fêmea seja vacinada (conforme indicado anteriormente) ainda filhote ou somente após o nascimento dos filhotes.

Que precauções tomar na hora da vacinação dos pets?

Vale lembrar que, para que as vacinas tenham total eficácia, o pet deve estar em bom estado de saúde quando for receber a medicação. Sinais como febre, diarreia ou algum tipo de secreção nasal ou ocular podem ser indicadores de que a aplicação deve ser adiada por algum tempo; tendo em vista que, em animais com algum tipo de problema de saúde, podem acontecer falhas da vacina em função do organismo debilitado do animal, que é medicado, mas não fica protegido contra as doenças.

Além disso, alguns cuidados também devem ser tomados para que o processo de vacinação no pet seja mais tranquilo, tanto para o animal como para quem for administrar as vacinas nele. No caso dos cães grandes, é indicado que estejam presos pela coleira e acompanhados por pessoas de tamanho suficiente para controlá-los na hora da aplicação – quando tendem a ficar bastante agitados – e não é aconselhável que crianças sejam as escolhidas para ficar junto ao pet na hora do processo.

Os cachorros mais nervosos devem sempre estar com a focinheira na hora da administração da vacina, já que podem reagir de maneira agressiva e machucar tanto quem aplica a medicação como seu próprio dono.

Também é primordial que as datas e períodos entre as vacinas sejam respeitados de acordo com a indicação do veterinário, já que sua eficácia pode ser comprometida no caso da administração errada.

Onde vacinar seu pet?

A nossa indicação para a vacinação é sempre com um médico veterinário. O exame clínico, a decisão de quais vacinas a serem tomadas e o acesso à vacinas de qualidade superior são essenciais para a boa manutenção da saúde do animal e tais cuidados somente serão possíveis com a ajuda destes profissionais. Além de que, a validação da vacinação somente será aceita com o carimbo e a assinatura de um Médico Veterinário.

A vacinação é de suma importância para o desenvolvimento de células de defesa do organismo contra agentes patogênicos; é uma prevenção e não um tratamento.

Protocolo de vacinação para cães

A recomendação é que o protocolo de vacinação para filhotes de cães sadios tenha início em 6 a 8 semanas de idade, como auxiliar na prevenção contra Cinomose, Hepatite Infecciosa Canina, Adenovírus Canino Tipo 2, Coronavírus Canino, Parainfluenza Canina, Parvovírus Canino e Leptospirose Canina, sorotipos presentes na maioria das vacinas conhecidas no mercado como “V8” ou “V10”.

Como a presença de anticorpos maternos interfere no desenvolvimento da imunidade ativa os filhotes de cães devem ser revacinados a cada 3 ou 4 semanas até pelo menos 12 semanas de idade. Cães com idade acima de 12 semanas devem receber uma dose de V8 ou V10 e uma segunda dose 3 ou 4 semanas depois.

A resposta adequada à vacinação é diretamente ligada à competência imunológica de cada animal. Por isso, antes de iniciar a vacinação em filhotes o animal deve ser avaliado pelo clínico.

A partir da primeira dose o animal deve retornar à clínica mensalmente, pelos próximos 2 a 3 meses, para o reforço da vacina V8 ou V10 (total de 3 doses), assim como para a vacina contra a gripe canina (Adenovírus Canino Tipo 2, Parainfluenza Canina e Bordetella Bronchiseptica), vacina contra Giardíase (duas doses) e, no último mês, depois de 4 meses de idade, para a vacina em dose única contra a raiva.

A partir de então, o animal é vacinado anualmente com uma dose de cada vacina (V8 ou V10, Bordetella, Giárdia e Antirrábica).

Cães que vivem em área endêmica para leptospirose ou têm contato com roedores devem receber reforço anual contra leptospirose intercalada depois de seis meses da vacinação anual.

 Protocolo de vacinação para gatos

A nossa recomendação é que o protocolo de vacinação para filhotes de gatos sadios tenha início em 6 a 8 semanas de idade, como auxiliar na prevenção das doenças causadas por vírus da Rinotraqueíte, Calicivirose, Panleucopenia felinas e por Chlamydia Psittaci, presente na vacina conhecida como Quádrupla Felina.

Como a presença de anticorpos maternos interfere no desenvolvimento da imunidade ativa, os filhotes de gatos devem ser revacinados a cada 3 ou 4 semanas até pelo menos 12 semanas de idade. Gatos com idade acima de 12 semanas devem receber uma dose de vacina e uma segunda dose 3 ou 4 semanas depois.

A resposta adequada à vacinação é diretamente ligada à competência imunológica de cada animal. Por isso, antes de iniciar a vacinação em filhotes o animal deve ser avaliado pelo Clínico.

Para gatos de origem desconhecida ou animais de rua recomendamos, antes do início da vacinação, um exame de sorologia para as doenças FIV/Felv Felina (Vírus da Aids Felina e Leucemia Felina), devido à alta prevalência e gravidade dessas doenças para os felinos.

A partir da primeira dose de vacina o animal deve retornar à clínica mensalmente, pelos próximos 2 a 3 meses, para o reforço da Vacina Quádrupla Felina e, no último mês (depois de 4 meses de idade), para a vacina em dose única contra a raiva.

A partir de então, o animal é vacinado anualmente, com uma dose única de Vacina Quádrupla e uma dose de Vacina Antirrábica.

 Vermifugação

A grande maioria dos parasitas que acometem os animais são zoonóticos, ou seja, causam enfermidades aos seres humanos. Os sintomas e lesões são de acordo com a espécie do parasita e a quantidade deste no organismo. Siga abaixo o esquema de vermifugação.

Esquema de Vermifugação 

Filhotes de mães não vermifugadas:

1ª dose de vermífugo de amplo espectro aos 21 dias de idade;

2 ª dose aos 36 dias;

3ª dose aos 57 dias.

Em seguida, repete 1 ou 2 vezes antes do término das vacinas, que é com 150 dias.

Filhotes de mães vermifugadas:

1ª dose de vermífugo de amplo espectro com 30 à 35 dias de vida e após 15 dias repete-se.

Repete 1 ou 2 vezes durante a vacinação.

Cães e gatos adultos:

Vermifugaçãod e 2 à 3 vezes ao ano.

Importante: ao sair para passear com o seu animal recolha as fezes que ele produzir nas vias públicas, isso é dever de todo proprietário responsável.

As praias não são um local adequado para levar o seu cão, as areias podem estar contaminadas com as fezes de animais sem controle parasitário.

Lembre-se: procure um médico veterinário para orientações; ele é o profissional capacitado para cuidar do seu animal.

UM GRANDE ABRAÇO E FIQUE COM DEUS.

Profª Jacqueline Melnik

Dia do desafio

 

O Dia do Desafio é uma campanha mundial de incentivo a população a praticar atividade física durante 15 minutos consecutivos.IMG_20160525_082151855 O evento foi idealizado em 1984 pela ParticipAction, entidade esportiva canadense, e difundido mundialmente pela Trim & Fitness International Sport for All Association (TAFISA), de origem alemã. O Brasil participa da ação desde 1995. Ocorre sempre na última quarta-feira do mês de maio, da 0h às 21h, e conta com a participação de milhares de cidades do mundo inteiro. Podem participar pessoas de todas as idades, individualmente ou em grupos. O Colégio Estadual Abílio Lourenço dos Santos participou do Dia do Desafio, cerca de 200 estudantes praticaram atividades físicas por pelo menos 15 minutos.

Encontro regional Viva a Maturidade

Aconteceu nesta quarta-feira (25) mais um encontro regional e cultural da melhor idade, o evento “Viva a Maturidade” promovido por Tony Mathias em Fazenda Rio Grande.IMG_20160525_132916746_HDR A festa que acontece uma vez ao mês, oferece ao público almoço, apresentações culturais, baile e sorteio de brindes. Caravanas de toda a região metropolitana participam do evento. Os próximos encontros ocorrerão em Contenda 24 de junho, Piên 29 de julho, Porto Amazonas 31 de agosto, Campo Largo 29 de setembro e Campo Tenente 20 de outubro.

 

Projeto “Era uma vez” da Biblioteca Pública do Paraná

Agente Cultural

Dieison Lang, agente cultural da BPP

O Colégio Estadual Valdevino Parolin Acordes, recebeu nesta sexta-feira (20), a equipe de agentes culturais da BPP (Biblioteca Pública do Paraná) para a realização do projeto “Era uma vez”, o qual existe há mais de cinco anos e visita escolas que não podem ir até a biblioteca, para contar histórias literárias.

Segundo Dieison Lang, agente cultural da BPP, além de ser um importante incentivo à leitura, o projeto tem relevância pelo fato de proporcionar momentos de lúdico e imaginação para os alunos. Muitas das histórias são apresentadas de diferentes perspectivas por parte dos agentes, para que os espectadores possam ter possibilidades distintas de imaginaçãoFantoches. “É muito prazeroso ir até as escolas, sempre muito bom ver a reação do público, quando eles gostam e reagem com as histórias” conta Dieison em entrevista à equipe do Programa Nossa Cidade.

Confira a matéria completa no programa Nossa Cidade do dia 20 de maio, na Tv Araucária canal 23, ou pela Web Tv, a partir das 19 hs.

Autor de renomadas esculturas é morador de Fazenda Rio Grande

A Rua Paranaguá no bairro Estados não fica despercebida por quem passa por ali. Esculturas de grande porte chamam a atenção e atraem olhares para o quintal do morador David Rodriguez. d82fd832-7744-4e70-b744-14f08e2c0022Encontra-se ali um grande artista, autor de inúmeras esculturas propagadas pelo estado e pelo país. A catedral Nossa S. da Luz na praça Tiradentes em Curitiba possui um dos mais reconhecidos trabalho de David, a escultura de 1,85 centímetros do Papa João Paulo II, feita de resina e fibra de vidro.c41d489a-910e-42b6-a03f-5488e25efef9 Para que o trabalho possa ser realizado, David diz ser necessário transmitir a técnica em emoção: “É um trabalho de fé”, relata.

Acesse o site do escultor David Rodriguez para conhecer mais obras

David Esculturas

Confira a matéria completa no programa Nossa Cidade do dia 19 e 20 de maio, na Tv Araucária canal 23, ou pela Web Tv, a partir das 19 hs.

Museu Oscar Niemeyer é considerado um dos 20 mais bonitos do mundo

Em comemoração ao Dia Internacional dos Museus, a equipe do Programa Nossa Cidade visitou um dos pontos turísticos da capital paranaense, o Museu Oscar Niemeyer, que se localiza na Rua Marechal Hermes no bairro Centro Cívico em Curitiba. O projeto é de autoria do reconhecido arquiteto brasileiro que leva seu nome. Ricardo Freire, historiador do MON há 10 anos acompanhou a visita.

Anexo do Museu Oscar Niemeyer intitulado “Olho”.

Ricardo FreireInaugurado em 2002, o museu é um espaço dedicado à exposição de Arquitetura, Urbanismo, Design e Artes Visuais. Foi eleito em 2012 um dos 20 museus mais bonitos do mundo pelo guia norte-americano Flavorwire e foi escolhido pelo público do TripAdvisor (maior site de viagens do mundo), um dos principais pontos turísticos de Curitiba. De 2003 à 2015 passaram pelo MON 2.651.097 visitantes. Além de exposições, o museu conta com um espaço dedicado à interação entre arte e alunos, a Ação Educativa propõe oficinas de arte relacionadas às exposições, em que os próprios alunos produzem materiais que posteriormente são expostos no museu temporariamente.

Dia Nacional do Combate a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Em entrevista a equipe do Programa Nossa Cidade, o Promotor da Infância e Juventude de Fazenda Rio Grande, Carlos Eduardo Azevedo comenta sobre o Dia Nacional do Combate a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, o qual remonta o “Caso Aracelli” no Brasil, no ano de 1973, quando Aracelli Cabrera Sanches Crespo, uma menina de 8 anos foi sequestrada, estuprada e assassinada por Dante Michelini Jr. e Paulo Helal, os quais nunca foram punidos pelo crime cometido.downloadPromotor Infância Consequentemente, houve uma mobilização, principalmente por parte dos familiares da menina, seu pai Gabriel Crespo e sua mãe boliviana Lola Sanchez. O jornalista José Louzeiro é o autor do livro ”Aracelli, meu amor”, cuja narrativa de cunho jornalistico-investigativo retrata o ocorrido em 1973.

Segundo o promotor, com frequência acontecem casos de violência sexual semelhantes, principalmente em àreas de menor qualidade de vida, sob aspecto cultural e econômico, em que o indivíduo abusador, na maioria das vezes é um membro da família da vítima. Carlos Eduardo ressalta: “O combate a exploração e violência sexual em relação à crianças e adolescentes é uma atividade diária e é responsabilidade de qualquer cidadão”.

ZanchiDe acordo com José Roberto Zanchi, Secretário Municipal da Saúde e de Ação Social, no município de Fazenda Rio Grande, os órgãos devem também trabalhar na perspectiva de prevenção de casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, com palestras nas escolas, no CMEI e Unidades de Sáude, uma vez que “É algo que ainda assombra a sociedade Brasileira” diz Zanchi.

GRIPE CANINA. É POSSÍVEL?

As temperaturas baixas e o tempo seco são fatores de grande influência para o aparecimento dos resfriados nas pessoas. No entanto, os animais também estão sujeitos às consequências de tais mudanças ambientais, e a gripe em cães é uma possibilidade constante nestas épocas, caso os cuidados necessários não sejam tomados para proteger o seu pet.

gripecanina

Além das variações de temperatura, a gripe canina também pode ser causada em função de bactérias e vírus, como no caso da Tosse dos Canis – doença transmitida pelas secreções de animais infectados e bastante comum em locais de grande aglomeração de cachorros. Portanto, é preciso que os donos de pets caninos estejam sempre atentos aos ambientes que seus bichinhos de estimação frequentam.

A traqueobronquite infecciosa canina, ou “gripe canina”, pode ser causada pelos agentes virais Parainfluienza e Adenovírus, pela bactéria Bordetella bronchiseptica ou ainda pela combinação dos dois tipos de agentes.

Os filhotes, cães idosos e os cachorros com problemas de imunidade estão entre os mais propensos a sofrer com a gripe canina, e também são os que correm mais risco de desenvolver a doença de maneira grave.

Sintomas da gripe canina

gripe5O sinal mais comum é a tosse, que pode ser seca ou acompanhada de secreção. O início da doença é súbito e pode ser confundido com a ingestão de um corpo estranho, pois o animal parece tentar se livrar de algo preso em sua garganta. Muitas vezes há produção de uma espuma branca, o que também dá a impressão ao proprietário de que o animal está com um quadro de vômito.

Com o passar do tempo a tosse se torna mais evidente e constante. O animal também pode apresentar espirros e secreção nasal e ocular. Caso haja secreção nasal é importante a realização de nebulizações diárias, para ajudar na expectoração e alívio respiratório, evitando a evolução da doença para um quadro mais grave.

O animal também pode apresentar febre e infecções secundárias. Vale lembrar que, para os cães, a temperatura febril é a partir de 39º C, aferida pelo médico veterinário na mucosa anal.

Outros sintomas incluem apatia, falta de apetite e intolerância ao exercício. Nos casos mais graves da doença, sintomas como febres, secreções oculares, anorexia, apatia, fraqueza e desidratação também podem se manifestar e, caso o animal não seja tratado, pode se instalar um quadro de pneumonia; que pode levar o pet ao óbito.

Tratamento da gripe em cães.

A gripe canina é uma doença que costuma ter curso breve, de 3 a 5 dias, com remissão pela própria resposta imunológica do paciente.

Tão logo se observe os sintomas, mantenha o animal aquecido, gripe9longe de correntes de ar, em repouso e com alimentação reforçada. Não deixe que o animal doente entre com contato com outros animais. De preferência, evite levá-lo a passeios na rua.

Na maioria dos casos, antibióticos são indicados para o tratamento da gripe em cães; que costuma ser facilmente curada. No entanto, quadros mais graves necessitam de mais atenção e cuidados e, portanto, a visita a um profissional veterinário é o procedimento mais indicado quando houver a suspeita de qualquer complicação.

É importante levar o animal para uma avaliação com o médico veterinário, pois dessa forma pode-se descobrir qual o agente infeccioso e agir de maneira direcionada. Caso haja sinais de infecção bacteriana, será necessário o uso de antibióticos específicos.

Jamais medique seu cão por conta própria! A Aspirina, comum para o tratamento de gripe em humanos, pode ser fatal para os cães.

Como previnir?

gripe7A vacina contra a gripe canina é a melhor forma de prevenção. Ela é facilmente encontrada nas clínicas e hospitais veterinários e pode ser administrada nos cães a partir dos 6 meses de idade.

 Ainda que seja vacinado, proteja seu cachorro do frio, atente-se para animais doentes nas ruas .

Quando dar a vacina?

O melhor momento para realizar a vacinação é de dois a três meses antes do inverno (fevereiro e março no Brasil), pois desta forma garante-se maior resposta imunológica durante a época mais fria do ano.

UM GRANDE ABRAÇO E FIQUE COM DEUS.

Profª Jacqueline Melnik

Feirão da caixa de 2016 em Fazenda Rio Grande

            Mais de 10 imobiliárias de Fazenda Rio Grande se reuniram para oferecer dez dias de imóveis com condições especiais. O Feirão Caixa da Casa Própria que acontecerá de 13 a 22 de maio, das 10 às 19 horas na Praça Brasil, traz ofertas de imóveis a partir de R$ 80.000,00.

Feirão 1

Giulianno Andrade Gomes, gerente da ACINFAZ

A edição de 2016 tem a participação da ACINFAZ como organizadora, segundo o gerente Giulianno Gomes a expectativa para a edição deste ano é otimista, são esperadas pessoas de toda a região metropolitana.

Filhotinho  chorando – Saiba por que isso acontece e como evitar

cachorro chorando2Quem tem um pet em casa sabe que ouvir um cachorro chorando não é algo incomum, especialmente nos casos em que este cão é um filhote. No entanto, os motivos para que o choro deles ocorra podem ser bastante variados, indicando uma série de sentimentos e necessidades diferentes.

Em muitos casos, o fato de ouvir um cachorro chorando pode significar que o seu pet está apenas fazendo manha e buscando a sua atenção para receber carinhos e chamegos. Entretanto, o choro do seu cãozinho também pode indicar doenças, tristeza e solidão, entre outros problemas; portanto, ficar ligado aos sinais que o animal en  via pode fazer toda a diferença para que a sua saúde e o seu bem-estar possam ser mantidos.

Como os donos de pets caninos já sabem, o choro dos cães é muito diferente do dos seres humanos e, embora, em alguns casos, seja possível notar que o cachorro fica com os olhos “marejados”, isso pouco tem a ver com o ato de chorar – já que o que parecem lágrimas são, na verdade, as glândulas lacrimais dos animais agindo para lubrificar a região dos olhos como um tipo de proteção.

O choro real dos cachorros é, na realidade, seco; e se anuncia por meio da vocalização do animal, que emite os sons para chamar a atenção e demonstrar tristeza ou algum tipo de incômodo. Conheça, a seguir, tudo sobre o choro dos cachorros, e entenda por que isso acontece, descobrindo dicas valiosas que podem lhe ajudar a acabar com o problema, caso você seja dono de um cãozinho que vive chorando.

Por que os cães choram?

Na maioria das vezes, os donos de pets que mais enfrentam problemas com cachorros chorando são os que acabaram de levar um bichinho de estimação filhote para casa. E não é difícil entender os motivos que levam estes cãezinhos a exibir esse tipo de comportamento; já que, de uma hora para outra, os animais se encontram em um novo ambiente, com pessoas desconhecidas e todo um mundo novo – cheio de cheiros, formas, imagens e sons diferentes, com os quais eles nunca tiveram contato antes.

Todo este conjunto de “estranhamentos” aliado ao fato de que o cãozinho também (normalmente) acaba de ser separado de sua mãe e de seu irmãos, causa um profundo desconforto no animal – levando a um sentimento que pode ser descrito como “trauma da separação”, e que os afeta profundamente.

Tendo em vista que, na grande maioria das vezes, o pet acaba ficando sozinho em algum local do seu novo lar na hora de dormir, a sensação de solidão e abandono acaba sendo ainda mais forte, fazendo com que o cão chore por longos períodos.

No entanto, não é só em função do medo ou da solidão que os filhotes choram, e o seu desconforto físico também pode ser responsável por longas sessões de lágrimas (de crocodilo, já que o pranto dos cachorros é seco). O frio, o vento, a chuva, a fome e a sede também são fatores que podem deixar o cãozinho estressado e inseguro, desencadeando o choro para chamar a atenção de seus donos (ou de sua mãe, caso não tenham sido separados) e receber algum tipo de solução ou conforto.

Muito se engana que pensa que só os filhotes choram por estes motivos, já que os cães de todas as idades podem apresentar esse tipo de comportamento por passarem muito tempo sozinhos. Por isso, é altamente recomendado que qualquer pessoa que deseje ter um pet em casa, de maneira antecipada, se prepare para reservar parte do seu dia para dar carinhos e brincar com o animal – já que, além de incentivar o choro, a solidão dos cachorros também pode ser responsável pelo surgimento de problemas psicológicos graves no animal, como a depressão.

Da mesma forma, a falta de comida, de água e a exposição do pet ao frio e ao vento também podem deixar cachorros de qualquer idade se sentindo desconfortáveis, provocando o choro. Outra atitude comum dos animais é a de chorar por manha – como fazem as crianças – buscando a atenção de seus donos, mesmo quando recebem muitos carinhos.

No entanto, caso você ouça o seu cachorro chorando repetidamente e se certifique de que essa atitude não se encaixa em nenhuma das opções descritas acima, fique atento; já que o choro dos animais (assim como dos seres humanos) também pode ocorrer em função de dor ou mal-estar.

Caso seja este o caso, levar o pet à um médico veterinário é a melhor opção, já que, somente um profissional será capaz de avaliar o estado de saúde do animal com propriedade e indicar o tratamento ou os cuidados mais adequados.

Como evitar o choro dos cães?

cachorro chorando3Já que, quase inevitavelmente, seu cão irá chorar em alguns momentos, é bom saber de alguns truques e medidas que podem ser tomadas para que estes episódios ocorram o mínimo de vezes possível.

No caso dos cachorros filhotes, por exemplo (conforme descrito anteriormente), já se sabe que o trauma da separação é uma das principais motivações para o choro e, portanto, manter o cãozinho se sentindo acompanhado é uma ótima pedida para evitar a sua tristeza. Para isso, quando o cão já tiver passado o dia brincando com você, deixar a blusa que estava usando junto com o animal no local onde ele dorme pode ser uma forma de fazê-lo sentir menos só – já que ele sentirá o seu cheiro durante todo o tempo e, assim, terá a sensação de estar acompanhado.

Deixar o animal com a companhia de um bichinho de pelúcia ou, até mesmo, deixar um rádio ligado (em volume baixo e em alguma estação com programação mais calma) no ambiente em que ele for dormir também são medidas que podem ajudá-lo a lidar com a solidão durante os seus primeiros dias em um novo lar.

Caso seja de sua preferência, você pode deixar que o cãozinho durma uma noite com você, para que se acostume melhor e não se sinta tão só neste primeiro momento – no entanto, tente não fazer disso um hábito; já que, desta maneira, você pode acabar tendo ainda mais problemas para conseguir fazer com que o animal durma sozinho no futuro.

Um fator importante – e que vale para cães de todas as idades – é que o dono do animal se certifique de que não falta comida ou água para o pet em nenhum momento, e o mantenha em ambientes onde ele esteja protegido do frio, da chuva e do vento.

Ajude seu cão a parar de chorar

Outro bom método para evitar o choro noturno dos cães é fazer com que ele gaste bastante energia durante o dia – portanto, quando tiver a chance, brinque muito com o animal (ou, ainda, coloque crianças cheias de energia para brincar com ele); pois, desta forma, o seu bichinho de estimação ficará bem cansado em função das atividades do dia e, quando a noite chegar, ele irá dormir com muito mais facilidade.

No entanto, nos casos em que já for sabido que o choro do seu cão é resultado de pura manha, a atitude deve ser outra; para que esse tipo de comportamento não vire um hábito e você siga escutando seu cachorro chorando por muito tempo. Embora ignorar os chamados entristecidos do seu bichinho de estimação possa parecer uma tarefa extremamente árdua, é exatamente isso que se deve fazer para acabar com esse costume manhoso dos cãezinhos.

gatinho chorando 2Por mais difícil que possa parecer não atender aos chamados do pet, é importante lembrar que, se você correr para lhe dar carinhos toda vez que ele chamar, o cão entenderá que está é a forma mais eficiente de ganhar a sua atenção e, além de continuar choramingando, passará a chorar cada vez mais alto e mais forte – agravando um problema que pode ficar cada vez pior e exigir a contratação de um profissional para resolvê-lo.

Portanto, quando ouvir seu cachorro chorando por manha, segure seu impulso de atender aos chamados – e vá ao seu encontro, apenas, nos momento em que ele parar de chorar; fazendo com que ele assimile que não é o choro o que chama a sua atenção, mas sim o seu bom comportamento. Esse processo pode demorar um pouco até que o cão se acostume por completo, no entanto, é a melhor maneira de garantir uma vida mais tranquila e sem o pranto do seu pet.

UM GRANDE ABRAÇO E FIQUE COM DEUS.

Profª Jacqueline Melnik

TV ONLINE

Carregando...

Publicidade